Agradecimento sem título

Enfim, o peixe foi pescado. Depois de alguns meses com uma equipe cheia de vontade planejando a venda de algo imaterial num lugar esmo, o lucro foi enorme – e nada financeiro. Nisso, o mais importante foi que algo mudou o terceiro andar do Mercado Novo. Não que estivéssemos querendo fazer um evento simplesmente baladeiro, com as 300 pessoas mais legais de Belo Horizonte. Mas que deixasse sua presença marcada em quem esteve presente  pela pancada – e a proposta era ser uma experiência nova que com todos os seus percalços, acabou se realizando muito bem.

O tipo de convocatória utilizado num evento como Vacas Magras teve sua amplificação potencializada de modo profundo – e dessa vez, ao mesmo tempo que acabou dando muito certo, o vandalismo gratuito também apresentou que pode  atrapalhar. De toda forma, sem querer ser tilelê, dava pra sentir uma vibração diferente no ar. Quem estava na produção não teve tempo pra ver o que rolava de perto, a todo momento alguma coisinha pra resolver e tudo foi improvisando até dar certo.

De longe, muita tinta e sons dos mais diversos escorriam por um espaço monumental. Gente ia chegando até dar uma sensação que não estava vazio – o que não é fácil por ali. O cinema, com sua programação múltipla sobre cidade e intervenção urbana não chegou a lotar, mas foi uma área lounge pra botar a cabeça pra pensar e descansar o corpo numa área de ação.

A cerveja terminou algumas vezes, até se esgotar totalmente. Quem queria se embebedar, só por um trago de Pratiana, que salvou muita gente. Havia certa apreensão do vandalismo chegar aos azulejos, o que quase aconteceu, mas a intenção de levar gente que não costuma ir ao Mercado Novo ao terceiro andar foi plenamente preenchida.

Mesmo com pequenas zicas pelo caminho, foi uma das tardes mais sensacionais que vi num evento, onde rolou diálogo, interação e criatividade plural, nem que fosse de gosto duvidoso, tudo combinou. Pena ter ocorrido como foi quanto à delibaração do condomínio limitando o horário de adentrar ao prédio apenas até as 16 horas. Muito triste ver aquelas pessoas que foram até lá  e ficaram de fora, pois nem tudo foram flores.  Mas digo, por favor retornem ao terceiro andar do Mercado Novo para pegar uma sensação boa do que aconteceu naquela tarde. Eu vou.

Câmbio, desligo.

por João Perdigão



This entry was posted on Sunday, September 19th, 2010 at 15:48 and is filed under Retrospectiva, Vendendo Peixe. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

3 respostas para “Agradecimento sem título”

  1. Tweets that mention Vendendo Peixe » Agradecimento sem título -- Topsy.com

    […] This post was mentioned on Twitter by Luiz Navarro, joanesburgo. joanesburgo said: Vendendo Peixe – agradecimento sem título – http://tiny.cc/sn0uf […]

  2. Apto2qtos

    Vendendo Peixe,muito importante para a Apto2qtos a participação, esperamos estar em outras edições e projetos!
    Singelo Grande abraço da Apto2qtos

  3. vendendopeixe

    Vcs foram demais! Som de alto nível, nós que temos que agradecer

Deixe uma resposta:

Sua resposta